Quem comanda 'bonde da confusão' na seleção e por que Neymar mudou postura

Quem comanda 'bonde da confusão' na seleção e por que Neymar mudou postura

Updated: 17 days, 2 hours, 30 seconds ago

Quem comanda 'bonde da confusão' na seleção e por que Neymar mudou postura

Do UOL e colaboração para o UOL, em Santos (SP) e Barcelona (ESP)

Quando Éder Militão, Vinicius Jr, Lucas Paquetá e Rodrygo se juntam na seleção brasileira, está formado o "bonde da confusão". O quarteto comanda a bagunça nos bastidores da equipe e inferniza a ala mais velha do grupo convocado por Tite.

O hit "Ai, Pedro", uma paródia de "Ai, Preto" de Canção de DJ Biel do Furduncinho e L7nnon embalou a última data Fifa antes da Copa do Mundo e trouxe o quinto elemento para o bonde: o próprio centroavante Pedro, que voltava à seleção naquela convocação e foi chamado por Tite para a Copa do Mundo do Qatar 2022.

"Essa molecada mais jovem e mais alegre que chegou agora canta o tempo todo. Eles cantaram a música do Pedro várias vezes e pegou de uma tal forma. É característica do jovem, junta Militão, Vini Jr, Paquetá e Rodrygo. É o bonde da confusão", disse o preparador Fábio Mahseredjian durante a última data Fifa.

No grupo, Militão e Vini Jr lideram as brincadeiras, Paquetá é quem traz músicas e coreografias novas, enquanto Rodrygo é o mais quietinho, mas entra na onda quando se junta ao "bonde da confusão".

Além das músicas e dancinhas que embalam o grupo, as risadas estão sempre presentes. E não são baixas.

"O legal desse grupo que realmente existe, ele é homogêneo, existe essa mistura entre os mais experientes e os mais jovens. Entretanto, é muito legal porque eu vejo nessa geração mais jovem um senso de responsabilidade que eu nunca tinha visto no futebol. Apesar das brincadeiras e das risadas, pô, eu e o Casemiro falamos... O Vini, o Militão e o Paquetá, eles dão risadas o dia inteiro. É incrível. É legal. Às vezes, eu falo, ri mais baixo aí", disse Danilo, durante a preparação da seleção em Turim (ITA).

Segundo um dos líderes do 'movimento', a intenção é manter a alegria no vestiário e interação entre os mais jovens e mais experientes da seleção.

"A gente tem um grupo nosso da bagunça, pessoas mais jovens, eu, Vini, Pedro, Paquetá, Rodrygo... A gente tenta sempre manter essa alegria das pessoas mais jovens com os mais experientes. Mas com respeito. É mais brincadeira com todo mundo, interagir com todos. Mais brincadeiras, mesmo. Não tem piada, a gente só brinca que eles são mais velhos", contou Militão.

Neymar mudou postura

Craque e camisa 10 da seleção brasileira, Neymar surgiu para o futebol como líder do 'bonde da confusão' de sua geração. O jovem sempre foi um dos mais brincalhões em todos os vestiários que passou, mas aos 30 anos o jogador do PSG vive nova fase.

Neymar acena para torcedores na chegada da seleção brasileira em Doha, no Qatar - Tullio Puglia/Getty - Tullio Puglia/Getty

Neymar acena para torcedores na chegada da seleção brasileira em Doha, no Qatar

Imagem: Tullio Puglia/Getty

Neymar ainda participa das brincadeiras, das 'resenhas', mas por ser um dos capitães do atual grupo, é responsável por cobrar quando as coisas não estão funcionando ou mesmo para manter o grupo com os pés no chão. Por esse motivo, o 'adulto Ney' ainda 'zoa', mas não como antes.

Na seleção, Neymar assumiu o papel de "presidente", que durante muito tempo foi de Ronaldo. Embora não esteja na disputa direta para ser o capitão, ele se tornou um líder técnico e tem muita influência sobre os mais jovens, por ser um ídolo da geração que chegou ao grupo no último ciclo.

Na reta final da preparação para a Copa, o UOL Esporte ouviu de jogadores da seleção que Neymar tornou-se uma referência a ponto de dar conselhos.

"Desde a minha primeira convocação, ele foi um jogador que chegou em mim, conversou comigo, me deixou super à vontade", disse Antony.

Lucas Paquetá também gosta de ver Neymar como uma referência. "Ele me acolheu super bem. É de extrema importância hoje, com mais experiência, ele colocar mais isso pra fora. Tem nos ajudado muito dentro de campo".

A versão de Neymar conselheiro vai além do ambiente da seleção. Antes de assinar com o Barcelona, Raphinha ligou para o camisa 10 para pedir uma opinião. "Ele só me passou coisas boas do Barcelona, falou que se eu tomasse a decisão de ir pra lá eu não me arrependeria", contou.