Otto Addo destaca pontos fortes de Gana e vê seleção pronta para surpreender na Copa

Otto Addo destaca pontos fortes de Gana e vê seleção pronta para surpreender na Copa

Updated: 19 days, 21 hours, 57 minutes, 30 seconds ago

A seleção de Gana retorna à disputa da Copa do Mundo após se ausentar em 2018. Com um elenco composto por apenas dois jogadores que atuam no futebol doméstico e o restante espalhado pela Europa, a equipe tem como objetivo levar em consideração o potencial dos atletas em alto nível para surpreender adversários desde a primeira fase e fazer história não apenas para o torneio, mas para elevar a representatividade do futebol africano.

Em entrevista à Fifa, o técnico Otto Addo falou sobre seus primeiros jogos à frente das Estrelas Negras, a qualidade dos convocados e o que espera da competição. Nascido na Alemanha e com atuação na Seleção de Gana, Addo estava à frente das categorias de base do Borussia Dortmund. Porém, às vésperas da fase decisiva nas Eliminatórias, o treinador assumiu interinamente o posto na seleção em substituição a Milovan Rajevac, demitido pela eliminação na fase de grupos da Copa Africana de Nações.

“Eu já havia trabalhado com Milovan Rajevac. Acho que ele fez um bom trabalho, eu estava feliz de trabalhar com ele e nos entendíamos bem. Fiquei triste porque não pude trabalhar com ele, mas agora eu estou feliz por estar à beira do campo com a seleção de Gana. É uma honra para mim e vou sempre tentar dar o meu melhor, da mesma forma que fiz quando eu era jogador.”

Otto Addo comentou sobre os jogos decisivos contra a Nigéria na última fase das Eliminatórias Africanas. Foram 180 minutos duríssimos, com empate sem gols em casa e nova igualdade, mas por 1 a 1, em solo nigeriano. Os ganeses avançaram por ter marcado como visitante. O treinador relembrou que era uma situação particular pela mudança no comando técnico e as forçadas modificações na lista de convocados para o grande teste.

“Tivemos um pouco de azar no início porque vários dos nossos jogadores se lesionaram antes do primeiro jogo. Acho que tivemos algo como oito atletas machucados que eu queria convocar. Como se não bastasse, dois ainda estavam suspensos. Tive que renunciar a vários atletas, mas isso acabou abrindo uma oportunidade para outros novos atletas, para quem não tinha sido convocado ainda. Contra a Nigéria, tudo ainda estava incerto, mas os garotos se adaptaram bem e nós estávamos taticamente preparados para as várias maneiras de jogar da Nigéria. E os jogadores lidaram bem com esse contexto, com as várias lesões, os vários novos atletas e a nova comissão técnica. Foram várias emoções no fim. Só dois dias depois que caiu a ficha de que nós tínhamos nos classificados à Copa do Mundo. E foi uma bela sensação.”

O técnico de Gana destacou as valências de seus convocados. Exaltou a força defensiva que eles apresentam, bem como o poder de marcação no campo de ataque. Afirmou que esses aspectos são uma continuação das estratégias trabalhadas nos clubes e, com isso, reúne potencial com e sem a bola para apresentar bom desempenho nas competições.

“Temos muita qualidade, vejo isso nos jogos e nos treinos. Contra a Nigéria tivemos um jogo difícil. Conseguimos pará-los, mesmo com várias mudanças na nossa equipe. Os jogadores se adaptaram muito bem e muito rápido. Acredito que temos um grande futuro pela frente com esses jovens e talentosos atletas, principalmente porque temos um equilíbrio perfeito entre a juventude e a experiência na seleção de Gana. Temos uma boa defesa, fazemos uma boa leitura do jogo e temos uma boa noção de pressionar o adversário no momento ideal. Temos muita qualidade no ataque, principalmente por causa do talento individual de nossos jogadores, que conseguem se impor tanto no ‘mano a mano’ quanto na velocidade. Penso que nosso time é capaz de derrotar qualquer um. Isso é mérito deles, não meu. São características que eles trouxeram e eles precisam jogar como uma equipe.”

O sorteio dos grupos colocou Gana na mesma chave que o Uruguai. No Mundial de 2010, disputado na África do Sul, as duas equipes disputaram as quartas de final e, no final da prorrogação, os africanos tiveram uma chance clara de gol defendida pelo atacante Luis Suárez. O centroavante foi expulso, Gana teve um pênalti praticamente no último lance do jogo, mas Asamoah Gyan acertou o travessão. Na disputa das penalidades, os uruguaios avançaram. Otto Addo deixa bem claro que aquele jogo está muito presente na memória, mas afirmou que precisa primeiro disputar bem os dois primeiros duelos antes do reencontro com a Celeste Olímpica.

“Com certeza isso vai estar na cabeça de alguns jogadores porque na época foi uma partida decisiva. Não só para Gana, mas para toda a África. Se tivesse vencido, Gana seria a primeira equipe africana em toda a história das Copas a chegar em uma semifinal. Foi muito doloroso, mas agora é outra geração que está em campo. Em uma Copa do Mundo, é preciso pensar jogo a jogo. A primeira partida contra Portugal já será muito decisiva e importante. O resultado vai dizer como iremos para a segunda rodada. Se conseguirmos um ponto contra Portugal, isso vai fazer com que a partida contra o Uruguai seja bem menos tensa.”

Siga o Esporte News Mundo no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e TikTok.

No final, o treinador da seleção africana fez uma análise de todo o Grupo H, formado por Gana, Portugal, Uruguai e Coreia do Sul. Addo destacou que Gana tem potencial para ter uma campanha esplendorosa, mas pode acontecer do desempenho ser desastroso. Citou que é necessário pensar um jogo por vez e acredita que tudo é possível caso as Estrelas Negras avancem aos confrontos eliminatórios.

“Temos três adversários duros. Podemos perder os três jogos, mas também vencê-los. Depende de nós, sobre como nós vamos nos adaptar ao estilo de jogos deles e como eles vão poder neutralizar nossa forma de jogar. Precisamos jogar de forma inteligente, nos aproveitar das fraquezas dos adversários e trazer o que temos de melhor. Todo jogo é diferente e a primeira partida será decisiva. Os outros confrontos dependem desse primeiro jogo. Se perdermos, teremos que jogar para frente no segundo jogo e, se isso não acontecer, vamos poder jogar de outra forma. Depende também de como vai ser o confronto entre Uruguai x Coreia do Sul. No fim, é um jogo mental. Se não conseguirmos jogar o necessário ou não estivermos prontos para cumprir com as exigências táticas, será difícil. Especialmente porque Portugal, Uruguai e Coreia do Sul são seleções muito fortes, com qualidade dentro e fora de campo. Será difícil pará-los, mas temos qualidade para derrotá-los. Se passarmos da fase de grupos, tudo será possível.”

A estreia de Gana na Copa do Mundo a ser disputada no Qatar será às 13h da próxima quinta-feira (24) no Estádio 974, em Doha/QAT, contra Portugal. Em seguida, as Estrelas Negras terão a Coreia do Sul como oponente às 10h da manhã da segunda-feira (28), no Education City Stadium, em Al Rayyan/QAT. Os africanos encerram sua participação na fase de grupos contra o Uruguai no Al Janoub Stadium, em Al Wakrah/QAT, ao meio-dia da sexta-feira, 2 de dezembro.