O agro entra em campo na Copa do Mundo do Catar

O agro entra em campo na Copa do Mundo do Catar

Updated: 17 days, 5 hours, 58 minutes, 58 seconds ago

Na Copa do Mundo do Catar, a seleção brasileira, em busca do hexacampeonato, e todos os times participantes jogarão em oito arenas e terão à disposição 136 campos de treinamento, nos quais, além da arquitetura sofisticada, chama atenção a exuberância do verde e a qualidade dos gramados, num acentuado contraste com o cinza do deserto.

+ Carne de frango: Brasil aumenta embarques em 40% para o Catar

Cultivar esses gramados e mantê-los num clima tão desfavorável é obra dos avanços tecnológicos do agronegócio, um dos fatores responsáveis pelo imenso ganho de produtividade do setor em nosso país: nas últimas quatro décadas, nossa área plantada expandiu-se em 33%, mas a produção agrícola cresceu 386%. Ou seja, cultivamos muito mais, ampliando em proporção muito menor as terras ocupadas pelas culturas.

No quesito tecnológico, a exemplo de nossa seleção de futebol, também já temos cinco conquistas marcantes:

Sistemas integrados lavoura-pecuária-floresta; Plantio direto; Fixação biológica de nitrogênio; Uso de bioinsumos; E ferramentas como GPS agrícola, sensoriamento remoto, robótica, irrigação automatizada e aplicação de insumos em taxa variável, conforme necessidades específicas, monitoradas com o uso de drones e computadores.

Em busca do hexa na Copa do Mundo e no agronegócio

taça da copa do mundo - fifa

No caso do agronegócio, o hexacampeonato na competição global da inovação seria a ampliação em alta escala de todos esses avanços, proporcionando o acesso do maior número possível de produtores, inclusive os pequenos, médios e agricultores familiares. Eis aí um desafio relevante para o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais e estaduais a serem empossados em janeiro próximo.

Apesar de pontuais contestações infundadas de alguns poucos concorrentes, têm ampla aceitação global

Trata-se de uma prioridade, como se pode constatar nos impactos positivos dos avanços já ocorridos: como resultado da tecnologia/produtividade e da consciência ecológica das mulheres e homens do campo, o setor agropecuário brasileiro utiliza, em média, apenas metade da superfície de suas propriedades para a produção. A área destinada à preservação da vegetação nativa e mananciais nos imóveis registrados e mapeados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) representa 25,6% da superfície nacional, revela a pesquisa Embrapa Territorial.

Não é sem razão que os alimentos e commodities agrícolas de nosso país, apesar de pontuais contestações infundadas de alguns poucos concorrentes, têm ampla aceitação global, atendendo a todos os requisitos quanto à origem e respeito aos preceitos ambientais e sanitários. É por isso que os brasileiros que viajarão para assistir à Copa do Mundo no Catar consumirão muitos produtos de sua própria terra.

Tabelinha comercial entre Brasil e Catar

catar - copa do mundo - bandeira

Segundo levantamento constante do Portal Comex, nossas exportações para o Catar em 2021 foram de US$ 284,3 milhões. Desse total, o agronegócio respondeu por mais de 55%, com destaque para carnes bovinas e de aves, principalmente. Ah, para evitar mal-entendidos aqui, não estou insinuando que nossos goleiros devam comer frangos no país árabe…

Bom humor à parte, cabe enfatizar que já somos protagonistas como fornecedores mundiais de produtos agropecuários. Com políticas públicas capazes de ampliar a disseminação tecnológica, educação, inclusão digital, mais subvenção ao seguro rural, acesso maior ao crédito e redução dos juros reais pagos pelos produtores, o setor rural empilhará troféus como campeão da economia, da segurança alimentar, da balança comercial, da geração de empregos e investimentos e do desenvolvimento sustentável.

___________

*Engenheiro formado pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP), empresário e membro da Academia Nacional de Agricultura (ANA).

_________

Saiba em primeira mão informações sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo. Clique aqui e siga o Canal Rural no Google News.