Miguel Coelho e sua falta de identidade com a governadora eleita Raquel Lyra

Miguel Coelho e sua falta de identidade com a governadora eleita Raquel Lyra

Updated: 2 months, 10 days, 19 hours, 48 minutes, 48 seconds ago

Por Ricardo Antunes – Um dos maiores derrotados após as eleições foi o grupo dos Coelhos de Petrolina. Ainda tentando remendar as coisas, o candidato derrotado ao Governo de Pernambuco, Miguel Coelho (União Brasil), deu entrevista nesta terça-feira (29) à Rádio Folha FM. Mas pouco pode contribuir ao debate sobre o governo Raquel Lyra (PSDB), a quem apoiou no segundo turno, mas não demonstrou ter proximidade. Assim, os rumores de que ele poderia assumir uma secretaria começam a murchar.

Ao longo de 2021, Miguel, Raquel e Anderson Ferreira (PL), todos ainda prefeitos, iniciaram agendas em conjunto para ouvir demandas da população de diversos municípios. No entanto, conforme o processo eleitoral chegava, não houve a tão propagada união das oposições, e se caminhava para mais uma vitória fácil do PSB, que ainda não havia escolhido Danilo Cabral como candidato.

A entrada de Marília Arraes no jogo ajudou a mudar o cenário, já que ela era mais conhecida que os outros quatro. Raquel se beneficiou com o eleitorado do Agreste, que é quase o dobro do Sertão, base de Miguel, e ficou na vice-liderança em todas as pesquisas.

Na véspera da eleição, Miguel cometeu um erro primário: comemorou o segundo lugar, mesmo que num empate técnico, e divulgou vídeo nas redes. Abertas as urnas, terminou em quinto lugar. Seus dois irmãos, Fernando Filho e Antonio Coelho, estiveram entre os mais votados para a Câmara Federal e a Assembleia Legislativa, respectivamente. Mas ele ficou sem mandato, assim como seu pai, Fernando Bezerra Coelho, cujo mandato de oito anos encerra em fevereiro.

Assim, de quatro mandatos que o grupo tinha, restam dois. E faltam cargos. Só no Senado, cerca de 40 comissionados integravam o staff dos Coelhos, que também devem perder outros espaços, como Codevasf e a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

Após se eleger prefeito, em 2016, e sobretudo depois da reeleição, em 2020, Miguel foi tomando o controle do grupo do pai, que sempre sonhou em disputar o governo.

Com experiência de 40 anos de vida pública, FBC tentou ser candidato em 2018, após se desfiliar do PSB e ingressar no MDB, mas foi travado por Raul Henry e Jarbas Vasconcelos, que apoiaram a reeleição de Paulo Câmara. Fernando ficou no palanque da oposição, liderado por Armando Monteiro Neto, que perdeu novamente no primeiro turno. Depois virou líder de Bolsonaro no Senado, cargo que exerceu por três anos.

Numa eleição decidida nos mínimos detalhes, com cinco candidaturas competitivas, valeu o peso do recall. Marília havia sido preterida pelo PT em 2018, mas soube usar o discurso de vítima e rodou os quatro anos do estado como nome majoritário, tendo disputado a Prefeitura do Recife em 2020 e ido para o segundo turno. Raquel, Anderson e Miguel estavam em igualdade de patamar, assim como Danilo, todos desconhecidos e sem largada.

Com tudo nebuloso e uma pulverização de formas de se buscar informação, pesaria mais que tivesse um nome mais conhecido e palatável, o que foi ignorado pelos Coelhos ao preterir Fernando Bezerra. Agora, ainda para juntar os cacos, resta ver como eles sobreviverão tendo “apenas” a Prefeitura de Petrolina, com o aliado Simão Durando no comando, após décadas de vacas gordas. É isso.

 

AGENDA

Diplomação da governadora e da vice-governadora eleitas, Raquel Lyra e Priscila Krause, no TRE-PE será no dia 19 de dezembro, às 16h, uma segunda-feira. A diplomação é uma cerimônia para formalizar a escolha dos eleitos. A de Lula e Geraldo Alckmin está marcada para o dia 12.

 

GOVERNABILIDADE

MDB, União Brasil e PSD assinaram protocolo para formação do maior bloco parlamentar do Senado, com 31 integrantes. O grupo já discute com o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o espaço que terá no governo.

 

INTEGRAÇÃO

A negociação faz parte da estratégia do presidente eleito de aprovação da PEC da Transição e de formação de uma base com maioria sólida de apoio a seu governo no Congresso.

 

APELO

Com o silêncio do presidente após a derrota nas urnas, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto foi até Bolsonaro para pedir que ele lidere a direita imediatamente. A preocupação do dirigente partidário é que o presidente deixe seu capital político se esvair se continuar recluso.

 

LÍDER

Valdemar também conta com Bolsonaro para liderar a bancada numerosa e diversa que elegeu. Muitos só respeitam a sua autoridade do presidente.

 

”QUARENTENA”

Na reta final do governo, ministros já antecipam suas consultas à Comissão de Ética Pública da Presidência para conferirem a necessidade de se fazer uma quarentena de seis meses a partir de 1º de janeiro, quando vão deixar o governo.

 

GARANTIA

Na semana passada, o colegiado considerou que três ministros da atual gestão vão passar a receber remuneração de janeiro a junho, após afastamento da gestão pública por terem tido acesso a informações privilegiadas ao longo das atividades.

 

DE OLHO NA COPA

O nordestino parece mais ligado na Copa do Catar do que moradores de outras regiões. Das cinco maiores médias de audiência dos jogos da 1ª rodada da Copa, três são de cidades dessa região.

 

TOP 3

Em Recife, a TV Globo obteve 24 pontos de audiência média e 58% de participação. Em seguida vem Fortaleza com 23 pontos de audiência e 54% de participação. Em terceiro, Vitória com 23 pontos de audiência e 52% de participação.

 

UNÂNIME

Cotado para assumir o ministério da Defesa de Lula, José Múcio Monteiro já foi elogiado também pelo atual presidente Jair Bolsonaro. Em evento quando Múcio se despedia do cargo no TCU, em dezembro de 2020, Bolsonaro disse que os dois são colegas desde 1991. “Zé Múcio, me permite, sou apaixonado por você. Gosto muito de Vossa Excelência, dos momentos bons, épicos na Câmara e também os maus momentos”, afirmou.

 

TRAGÉDIA…

O relatório da comissão externa da Câmara sobre os assassinatos do indigenista pernambucano Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips pedirá uma CPI para que a Casa faça uma apuração rigorosa dos crimes.

 

…ANUNCIADA

A relatora apontará que as mortes de Bruno e Dom foram uma consequência do desmonte da área de políticas para os povos indígenas. Segundo o documento, os assassinatos foram uma “tragédia anunciada”, em meio à atuação constante de organizações criminosas no Vale do Javari.

 

FOTO DO DIA