Estreia dramática

Estreia dramática

Updated: 22 days, 20 hours, 17 minutes, 59 seconds ago

Estar na televisão não chega a ser uma novidade para Carol Portes, a batalhadora Dalva de “Cara e Coragem”. No entanto, o folhetim da faixa das 19h da Globo marca a estreia da atriz em novelas. Algo com o qual já tinha sonhado, mas não sabia exatamente quando poderia conquistar esse espaço. “Sempre tive vontade de estar na televisão fazendo novela. Acho que faz parte do imaginário de qualquer brasileiro, sendo ator ou não. E essa oportunidade veio, com certeza, na melhor hora”, garante Carol, que integrou o elenco da série “Adorável Psicose”, entre 2010 e 2014 no Multishow, e do humorístico “Tá no Ar: a TV na TV”, a partir de 2015. “Faltava contar uma história longa, com uma personagem com início, meio e fim”, avalia.

Na história escrita por Claudia Souto, Dalva é dona de um brechó frequentado por Anita, um dos papéis interpretados por Taís Araújo na trama, e também amiga da massoterapeuta. Além disso, Dalva é ex-mulher de Armandinho, interpretado por Rodrigo Fagundes. “É uma personagem carismática e encantadora. Interpretá-la é prazeroso e divertido, ainda mais com companheiros de cena como Taís e Rodrigo”, elogia a volta-redondense, que tem 41 anos.

A oportunidade para “Cara e Coragem” veio a partir de um teste. Na época do início da escalação, uma produtora de elenco lembrou de Carol e, depois de duas avaliações, seu nome acabou sendo aprovado pela direção da novela. Inicialmente, foi realizada uma preparação de elenco antes do início das gravações, com Cris Moura. “Fizemos interações e leituras através de encontros online, porque no início do ano ainda existia uma política restritiva de encontros presenciais em função da covid. Foi muito bacana esse primeiro momento”, lembra.

Porém, assim que as gravações começaram, Carol entendeu que seria melhor investir em um trabalho de construção individual, mas com ajuda profissional. Aí, entrou a atriz e preparadora Helena Varvaki. “Procurei uma pessoa que me ajudasse na condução dessa história ao longo dos meses. A Helena, a partir de vários encontros, me acompanhou nessa construção”, valoriza Carol, que não hesita sobre a principal dificuldade enfrentada pelas gravações de “Cara e Coragem”. “O mais desafiador é estar longe da minha família. Sinto muita falta da minha filha e do meu marido, que ficam em São Paulo enquanto estou no Rio de Janeiro para as gravações”, assume.

Pelo menos por enquanto, os trabalhos de maior visibilidade de Carol na televisão apontam para a veia cômica da atriz. Mas ela garante que isso foi “muito por acaso”. “Sempre adorei fazer piada e gracinha entre os amigos e, de fato, tinha uma tendência a fazer graça em cena, mas foi rolando. Aconteceu um trabalho, que chamou atenção para outro e assim foram me chamando”, conta. Por outro lado, garante que não existe necessariamente uma zona de conforto aí. “Tudo depende do texto. Uma cena dramática muito bem escrita será mais gostosa de fazer do que uma cena de humor sem graça”, opina.

“Cara e Coragem” – Globo – Segunda a sábado, na faixa das 19h. Reprise de terça a domingo, na faixa das 2h.