Análise: Goleada na Bélgica e 'mão colchonera' foram os ingredientes para a receita da felicidade azul e branca

Análise: Goleada na Bélgica e 'mão colchonera' foram os ingredientes para a receita da felicidade azul e branca

Updated: 1 month, 11 days, 16 hours, 9 minutes, 38 seconds ago

Primeira meia-hora para esquecer, valendo o golo de Taremi na primeira parte

O FC Porto foi à Bélgica vingar-se do Club Brugge, que, a 13 de setembro, tinha goleado no Estádio do Dragão. A vingança serviu-se fria e a resposta veio na mesma moeda, que é como quem diz, com o mesmo resultado.

Após um mau arranque no grupo B com duas derrotas nas duas primeiras jornadas, o FC Porto somou a terceira vitória consecutiva, após ter vencido os dois confrontos com o Bayer Leverkusen. O apuramento chegou horas depois com o empate em Madrid entre o Atlético e o Bayer.

Nem tudo foi um mar de rosas para os dragões, que tiveram uma meia hora para esquecer com imensas oportunidades de golo falhadas. Depois veio o golo de Taremi aos 33 minutos, ele que viria a bisar e a fechar a contagem aos 70 minutos.

Evanilson e Eustáquio também marcaram pelo meio, mas o momento do jogo surgiu no arranque da segunda parte.

Diogo Costa brilha ao mais alto nível e protagoniza o (duplo) momento do jogo

Diogo Costa está a candidatar-se para voltar a estar no Onze da Semana da Liga dos Campeões. O guardião dos campeões nacionais brilhou na vitória portista na Bélgica e fez história em campo.

O dono da baliza portista defendeu uma grande penalidade de Vanaken, por falta de David Carmo, quando o o resultado estava 1-0. O árbitro Mike Oliver mandou repetir porque Eustáquio entrou na área antes do remate do belga. Na repetição, foi Noah Lang a bater mas, mais uma vez, Diogo Costa brilhou e voltou a defender o penálti.

Foi o terceiro penálti defendido pelo guardião portista nos em cinco jogos da Champions. De acordo com dados da Opta, é a primeira vez que um guarda-redes defende três grandes penalidades numa única campanha da prova. Diogo já tinha defendido dois penáltis diante do Bayer Leverkusen.

Depois do jogo, Sérgio Conceição teceu duras críticas ao jogador David Carmo e Diogo Costa mostrou-se consciente da boa fase que atravessa.

Diogo Costa, Otávio e Taremi saem com título de melhores em campo

Diogo Costa: Por tudo o que já foi descrito acima, Diogo Costa sai desta partida com o título de melhor em campo. Se o guardião portista não tivesse travado, seja o primeiro ou o segundo remate dos belgas, o rumo do jogo seria certamente diferente. Mais, a atitude e segurança de Costa entre os ferros são notáveis.

Otávio: Não marcou (mas deu a marcar). O luso-brasileiro preencheu o campo do FC Porto e esteve em todo o lado. Um jogador que se posiciona muito bem e corre muito.

Taremi: O autor de dois dos quatro golos do FC Porto tinha de fazer parte deste grupo. O avançado iraniano tem revelado maior maturidade nesta época e isso reflete-se na boa época que está a fazer.

As melhores imagens do encontro

As reações pós-jogo

Conceição irritado com penálti de David Carmo: "Não é normal a este nível um jogador cometer um erro do género"

Conceição recorda apedrejamento após derrota em casa com o Club Brugge: "Nunca esquecerei"

Galeno e Taremi destacam importância da vitória em Bruges

Diogo Costa: "Estou numa fase muito boa, mas o momento mau vai chegar"

Apuramento chegou horas depois

O FC Porto acabou por apurar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões ao beneficiar do empate do Atlético de Madrid com o Bayer Leverkusen.

Os dragões esperavam por um deslize dos 'colchoneros' para chegar pela 13.ª vez aos oitavos de final, o que acabou mesmo por acontecer.

O FC Porto tem nove pontos, menos um do que o Club Brugge, também apurado, e mais quatro do que o Atlético de Madrid e cinco do que o Bayer Leverkusen. O FC Porto é a segunda equipa portuguesa a assegurar o apuramento, depois de o Benfica ter assegurado a presença nos oitavos de final na terça-feira, com um triunfo sobre a Juventus (4-3). Fica a faltar o que acontecerá ao Sporting