A Copa do Mundo e suas lições para melhorar nossos resultados

A Copa do Mundo e suas lições para melhorar nossos resultados

Updated: 5 days, 12 hours, 25 minutes, 26 seconds ago

Estamos em época de Copa do Mundo. Muitas lições e ensinamentos sempre são percebidos e extraídos destes grandes eventos. A Copa do Mundo traz uma série de ensinamentos que podem ser aplicados nas empresas, na sociedade e, também, no círculo familiar. Dentro de algumas semanas, saberemos qual foi a equipe que sagrou-se campeã deste belo campeonato, bem como muitos analistas apontarão os “porquês” das vitórias e das derrotas. Porém, decidi me adiantar e comentar sobre aspectos que acredito serem determinantes para o êxito.

Uma série de fatores são fundamentais para formar um time campeão. Se analisarmos os campeonatos anteriores, encontraremos uma série de respostas que, se aplicadas nos times atuais, poderão encurtar o caminho entre o “desejo” e a “realidade” de levantar o troféu. Todos desejam, porém, somente uma equipe chegará lá. É fundamental compreendermos que alguns aspectos determinantes para essa conquista antecedem o campeonato. Existe uma importante construção nesse caminho.

Selecionar os melhores atletas dentro da melhor estratégia, previamente pensada pela equipe técnica, são alguns aspectos relevantes. A preparação física destes mesmos atletas também é fundamental. É imprescindível que todos estejam em altíssimo nível. Porém, existe algo que se constrói a partir do início da competição. Essa construção é fundamental para manter um clima adequado para que aflore a melhor performance. A este clima, damos o nome de “a mente mestra” (ou o MasterMind).

A perfeita construção desta importante aliança exige que se observe todo e qualquer detalhe. Para que isso ocorra, é fundamental que as pessoas estejam unidas em torno de um mesmo objetivo e que estas pessoas estejam dispostas ao mesmo sacro-ofício. A observância de todos os detalhes na construção desta mente mestra pode ser determinante para os resultados coletivos.

Para exemplificar este conceito, resgato um episódio que aconteceu em 2010, no deserto do Atacama, no Chile, quando 33 operários chilenos ficaram soterrados. De forma trágica, após um grande colapso de uma rocha, estes 33 operários precisaram se unir em torno de um mesmo objetivo, que era a sobrevivência, e precisaram estar dispostos ao mesmo sacro-ofício, que era suportar as adversidades impostas por aquela situação. Aqueles 33 homens, com idades entre 18 e 65 anos, passaram por situações tão adversas que, provavelmente, muitos de nós jamais passarão em nossas vidas.

A mente coletiva construída naquela caverna, a mais de 700 m de profundidade, foi determinante para que aqueles 33 operários sobrevivessem. Para termos uma noção a respeito do esforço e do sacrifício feito, durante os primeiros 17 dias, aqueles 33 operários chegaram a se alimentar com, apenas, uma colher de sopa de sardinha a cada 72 horas. Ou seja, a cada 3 dias, uma pequena porção de sardinha entrava no estômago de cada indivíduo. A redenção veio 70 dias depois, quando os 33 operários chilenos saíram daquela caverna através de uma cápsula chamada Phoenix. Todos precisavam atingir um objetivo coletivo, que era sobreviver, para que, depois, pudessem realizar seus objetivos pessoais.

Algo muito semelhante precisa ocorrer com a equipe campeã. O sacrifício dos atletas, da comissão técnica, de todos aqueles que participam da Copa do Mundo, bem como a união de todos em torno do mesmo objetivo, serão determinantes para essa conquista. Quando um membro da equipe não estiver bem, os outros devem suprir suas deficiências. O “nós” deve se sobrepor ao “eu”. Vaidades e egos devem dar espaço ao pensamento de equipe e ao coleguismo, sempre na busca do objetivo principal bem definido.

Quando isso tudo for considerado e os detalhes que possam impactar negativamente forem corrigidos, as coisas tendem a ocorrer da melhor forma. Fatores contingenciais, daqueles que podem ou não serem previstos, ocorrerão. Ainda assim, a mentalidade coletiva, comprometida, daquele pequeno grupo, se sobressairá e os resultados virão. Estes são os times que entram para a história. Essas são as empresas que prosperam. Estas são as famílias que conseguem formar grandes seres humanos. Sendo assim, aguardemos cenas dos próximos capítulos. Forte abraço e até a vitória, sempre.

Texto por Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS